Translate

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

HIPÓTESES DIAGNÓSTICAS- SESSÕES DE AVALIAÇÃO

HIPÓTESES DIAGNÓSTICAS- SESSÕES DE AVALIAÇÃO 
De pose das informações através da anamnese feita com a mãe do aprendente e com a professora, a partir deste ponto estabeleci um diagnóstico de intervenção psicopedagógica com o aprendente, fazendo assim uso das hipóteses que me conduziram á identificação das causas das dificuldades de aprendizagem apresentadas pelo o aprendente em estudo. A partir disso, construí uma proposta de intervenção psicopedagógica que resultou, na apresentação, de uma devolução para a família sobre o caso aqui apresentado. Pois, a história do aprendente estará sempre relacionada com a família, mais especificamente, com as representações e significações presentes nas suas interações familiares. Após os dados colhidos, percebe-se que o aprendente tem um comportamento, pensamento e discurso amplamente organizados, um ótimo vocabulário, dissociação e sentimento de tristeza. xxxxxxxxx demonstra conflito interno, que resulta na dificuldade de concentração como no relacionamento ensinante e aprendente. Sua idade cronológica é coerente com sua idade mental. Percebe-se um forte abalo emocional por parte do aprendente. Em relação a si: Insegurança, medo, auto-estima baixo, desequilíbrio emocional, desajuste de afetividade, conflito interno, insatisfação. Em relação à família: Insatisfação, sentimento de inadequação no contexto familiar. Em relação à Escola: Imaturidade cognitiva, medo do novo, auto-estima baixo. Em relação ao social: Ás vezes apresenta oscilação de humor. Diante disto tudo, as hipóteses levantadas durante as sessões psicopedagógicas com o aprendente podem serem classificadas das seguintes formas:
Hipótese 1: Considero, como primeira hipótese inicial, que a criança encontra-se bloqueada por problemas emocionais, carregada de vínculos negativo que, consequentemente, estão interferindo negativamente na sua atenção para aprendizagem, desautorizando-a de ser mais criativa e de construir sua autoria de pensamento.
Hipótese 2: O aprendente não apresenta nenhum problema de inteligência, é motivada pela a professora para aprender a ler, mas, no momento passa por problemas emocionais, o que sugere tratar-se de um problema de aprendizagem-sintoma, uma vez que existem causas ligadas a sua estrutura individual e familiar que forma na criança, comprometendo a dinâmica de articulação entre inteligência, o desejo, o organismo e o corpo.
Hipótese 3: As técnicas psicopedagógicas e suas intervenções possibilitam abrir espaço, objetivos e subjetivos, que promovam ao sujeito aprendente a experiência e a vivencia da satisfação de sentir-se autor de seus pensamentos.

2 comentários:

  1. olá, parabéns pelo seu blog, muito informativo.

    ResponderExcluir
  2. olá, parabéns pelo seu blog, muito informativo.

    ResponderExcluir

aprenda aqui, psicopedagogia,dificuldades de aprendizagem